QUAL A CONTRAINDICAÇÃO DO EXERCÍCIO APÓS REFEIÇÃO

            É muito comum ouvirmos considerações sobre não fazer exercícios logo após as refeições. O termo “congestão” é muitas vezes usado para descrever perturbações que ocorrem relacionadas às situações nas quais o período digestivo é associado a exercícios, banho quente, etc

            O que existe de verdade em relação à estas situações, certamente pode ser explicado pelo entendimento da fisiologia do processo digestivo.

            Quando ingerimos um alimento, imediatamente ele é acumulado no estômago que inicia o processo digestivo, misturando o conteúdo com o chamado suco gástrico que é composto de enzimas digestivas e ácido clorídrico. Durante a permanência do alimento no estômago não existe absorção, ou seja, o alimento ainda não passa para a corrente sanguínea.

            Em seguida, uma pequena amostra do conteúdo do estômago passa para o início do intestino delgado, chamado duodeno devido a contrações da parede do estômago.  Assim que esta amostra chega no duodeno, as células de revestimento desse segmento do tubo digestivo “analisam” sua composição.

            Se a amostra de alimento não apresenta concentração elevada de nutrientes, ou seja, se for um conteúdo de fácil digestão, o processo de esvaziamento do estômago continua e o estômago fica vazio, passando seu conteúdo para o duodeno em um curto intervalo de tempo.

            Se por outro lado, o estômago mandar a primeira amostra com concentração elevada de nutrientes, o que caracteriza o momento logo após uma refeição, as células do duodeno detectam esta concentração elevada e secretam uma substância chamada enterogastrona que vai inibir as contrações do estômago e retardar seu esvaziamento.

            Esta é a situação durante a qual devemos evitar fazer atividade física mais intensa, devido à duas razões. Primeiro, quando o estômago está cheio, qualquer atividade vai ser acompanhada de um desconforto, podendo ocorrer vômitos, cefaleias etc. Também existe uma grande probabilidade de aparecer a temida dor no flanco, fruto da compressão do diafragma contra o estômago cheio. Em segundo lugar, este processo digestivo mais intenso requer um desvio de fluxo sanguíneo para o tubo digestivo, competindo com os músculos por perfusão sanguínea e oxigenação.

            Este é o processo que explica a contraindicação de atividades físicas e  que conhecemos pela denominação de “congestão” ou perturbação digestiva.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s